Rio de Janeiro, quinta-feira, 21 de setembro de 2017 - 07h31min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Colunista » Carlos Molinari
O "Novo Bangu" da Vivyd é o eterno "Bangu dos tolos"
03/04/2017

Esta semana um jornalista de O Globo me procurou. Queria fazer uma matéria sobre o "novo Bangu", com "uma nova diretoria e uma maior profissionalização". Um tolo. Enganado obviamente pelo discurso ufanista do Luiz Henrique Lessa.

O jornalista ingênuo, fazendo uma matéria de encomenda, se surpreendeu quando eu disse que preferia o "velho Bangu". O Bangu da época da fundação, o Bangu de Guilherme da Silveira, o Bangu de Castor, o Bangu que não entrava em campo de azul e amarelo, o Bangu que não tinha virado um feudo de Rubens e de seu primo. 

O que vimos este ano foi o supra-sumo da incompetência, aliada à falsa malandragem. Sim, amigos. O nosso presidente se julga um malandro-mor, um esperto que sabe iludir os incautos e ganhar muito dinheiro com o futebol. Embora, com o andar do Campeonato, sempre aquele time baratinho, vagabundo, que economiza o dinheiro das cotas de TV, tenha que receber alguns reforços e o técnico tenha que ser modificado várias vezes. Um gasto que nunca está previsto, mas que sempre ocorre. 

O caso clássico da incompetência misturada com fragilidade ética aconteceu com a saída de Arturzinho. À Rádio Esporte Metropolitano, Varela se apressou em dizer que é tudo "boato" o fato de que Loco Abreu e o Rei Artur quase chegaram às vias de fato em Moça Bonita. Ora, se o malandro-mor quer abafar uma história, então é porque ela é verdadeira. E, creiam, é a pura verdade! O Rei Artur (250 jogos e 93 gols pelo Bangu) foi chamado para a briga, aos palavrões, pelo Loco Abreu. Creiam! Aos olhos de Ado e Mário que, cúmplices dessa covardia, nada fizeram. Prezaram pelos seus empregos e esqueceram a amizade de três décadas com Arturzinho. Foi um acinte! Não adianta desmentir, Varela!

Loco Abreu, contratado aos 40 anos com um tendão em estado deplorável, vai agora para o Central Español, time da 2ª divisão uruguaia. Sai sem deixar saudade. O projeto de marketing não conseguiu captar sócios para o tal do "Partiu Bangu", não aumentou o número de torcedores nos estádios e nem vendeu tantas camisas da WSport assim. Na sua cola, a Vivyd Capital Partners trouxe para Bangu um Peralta, que perdeu mais tempo curtindo a noite carioca, do que jogando efetivamente e um volante, o bom Damián Eroza, que veio lá de Montevidéu para ser reserva nesse time horroroso. 

Roberto Fernandes - técnico que também agradece à Vivyd por ter lançado sua carreira em times do Sul/Sudeste do país - tem feito um trabalho criativo, mudando os jogadores de posição, testando esquemas, mas já confessou que, além de nunca ter demorado tanto para vencer com um time, nunca viu um elenco tão fraco. Se o ex-chefe de torcida do Náutico continuar, poderá trazer novos nomes para a Série-D. Caso saia, o Bangu fará um catado dos piores jogadores dos times pequenos do Campeonato Carioca para a Série-D.

Se o orçamento das cotas de TV chegou ao absurdo de pagar 4 milhões ao Bangu por sua participação no Campeonato (363 mil por partida), o dinheiro foi muito mal empregado ou sequer foi empregado, o que é mais provável. O time é tão precário que o fragílimo lateral Guilherme - aquele que os mexicanos não quiseram nem ver - é tido como o maior craque desta safra. 

O Bangu, cheio de volantes sem talento, acreditou que poderia ter a volta de Almir a partir do 2º Turno. Subestimou que a situação do antigo craque é dificílima, com uma perna mais fortalecida que a que foi operada, com trabalhos de fisioterapia diários em dois períodos e ainda uma incerteza se poderá voltar ou não a atuar profissionalmente. Lamentável. 

Evidente que, após tantas lambanças nas contratações e montagem da equipe (lembremos também do frangueiro Márcio e dos atacantes Bruno Luiz e Mateus, que não fizeram um único gol), Varela recorreu a Rubens. O presidente da Federação faria o que fosse possível para evitar que o Bangu caísse para o Torneio Seletivo. Na 10ª rodada, o Resende perdeu do Nova Iguaçu e teve três jogadores expulsos. Três baixas para a partida contra o Botafogo.

A maracutaia foi providencial. Mesmo sendo humilhado pelo Madureira por 3 a 1, o Bangu contou com os desfalques do Resende, que caiu para o Botafogo por mínimos 3 a 2. Isso fez o alvirrubro ficar em 10º (sem qualquer merecimento) e o Resende em 11º, indo para o Torneio Seletivo 2018.

Sem ficar nem entre os 8 primeiros, o Bangu deixa de ser considerado clube médio pela Globo para 2018. Mas não tem problema, Rubens lá na Federação arranjará um jeito para salvar as polpudas cotas de TV e ajudar o nosso presidente a continuar se achando o malandro-mor.  

Foi humilhante, mas o malandrão deve ter colhido um lucro recorde este ano. 

 
Carlos Molinari
Pesquisador da história do Bangu Atlético Clube
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.133
Vitórias 1.728
Empates 979
Derrotas 1.426
Gols Pró 7.305
Gols Contra 6.332
Saldo de Gols 973
Artilheiros
 
Ladislau 231
Moacir Bueno 203
Nívio 152
Menezes 137
Zizinho 125
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 98
Arturzinho 93
Marinho 83