Rio de Janeiro, segunda-feira, 29 de maio de 2017 - 08h33min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Notícias » Jogos

06/08/1960 - BANGU 2 x 0 KILMARNOCK (ESCÓCIA)

FICHA TÉCNICA
Competição:
Torneio Internacional de Nova York
Local:
Estádio Polo Grounds (EUA)
Árbitro:
James McLean
Público:
25.440
Ubirajara, Joel e Darci Faria; Zózimo, Ananias e Nilton Santos; Correia, Zé Maria, Décio Esteves, Valter e Beto.
Técnico: Tim
Jimmy Brown, Jimmy Richmond e Matt Watson; Frak Beattie, Bill Toner e Bobby Kennedy; H. Brown, Jackie McInally, Vernon Wentzel, Bert Black e Billy Muir.
Bangu 1 x 0: Valter, aos 3min do 1º tempo
Bangu 2 x 0: Valter, aos 42min do 2º tempo

. . . . . . . . . . . . . . .

Sábado, 6 de agosto de 1960...
Fo
nte: Carlos Molinari

 
 

Exatas 25.440 norte-americanos pagaram ingresso nas bilheterias do Polo Grounds para presenciar a final da "International Soccer League", o Campeonato Mundial Interclubes instituído por Bill Cox.

A finalíssima reunia o Bangu, vice-campeão carioca de 1959, e o Kilmarnock, vice-campeão escocês de 1959. Duas equipes, portanto, que não admitiam outro vice. Curiosamente, a campanha de ambas era idêntica: quatro vitórias e um empate. Os jogos do Bangu já tivemos oportunidade de acompanhar nesta série. O Kilmarnock, time azul e branco da cidade de mesmo nome, venceu o Burnley (Inglaterra) por 2 a 0; venceu o Bayern Munchen (Alemanha) por 3 a 1; venceu o Glenavon (Irlanda do Norte) por 2 a 0; empatou com o Nice (França) em 1 a 1; e por fim, ganhou o New York Americans (EUA) por 3 a 1.

 
 

A organização do torneio publicou uma revista, espécie de programa oficial da decisão, ricamente ilustrada. Na capa, o objeto do desejo das duas equipes: a "American Challenge Cup" - a taça que iria parar nas mãos do capitão.

O goleiro Ubirajara lembrou posteriormente o clima que antecedia àquela final:

“Nós fomos jogar um torneio lá em Nova York, em 1960, fomos até campeões e nós fomos assistir o jogo do adversário nosso. Voltamos para o hotel, Tim chegou e falou assim: ‘Eu só perco esse jogo se você tomar frango, se não, não tem jeito’”

Pelo visto, o técnico Tim não levava o Kilmarnock muito à sério e logo traçou a estratégia para derrotar o adversário, segundo explica Ubirajara:

“Tim falou: ‘E nós vamos ganhar o jogo sabe como? Valter!’”.

Ganhar o jogo através de Valter era uma das teorias mais improváveis, afinal, durante todo o Torneio de Nova York, Valter não tinha feito um único gol, mas Tim tinha uma idéia imbatível:

“O Correia vai fazer uma diagonal, Valter vai correr pelas costas, a bola vai ser lançada pelo Beto para a área, Valter vai entrar por trás da zaga e fazer o gol” – segundo o goleiro Ubirajara, essa era a estratégia para ser campeão.

Em campo, ela funcionou perfeitamente logo aos 3 minutos, só que o passe, ao invés de ser de Beto, foi de Décio Esteves. Valter, a 10 metros do goleiro Jimmy Brown, marcou 1 a 0.

O gol deu enorme tranqüilidade ao Bangu, que manteve toda a cautela durante o restante do jogo, segurando o placar e impedindo os avanços do Kilmarnock.

Só no finalzinho, quando os escoceses cansaram, o Bangu voltou a utilizar a tática de Tim. Novamente Valter foi lançado e novamente marcou o gol. Eram decorridos 42 minutos do segundo tempo e um chute longo, a 25 metros, selou a vitória banguense, que dava o título mundial aos sul-americanos.

O The New York Times, em reportagem muito feliz, disse que: “Com a vitória, o Bangu abrilhantou consideravelmente o prestígio do Brasil com uma força do futebol, já que a seleção nacional ganhou o título mundial há dois anos, na Copa da Suécia”.

No apito final, uma cena rara. Os jogadores do Kilmarnock carregaram em triunfo o capitão Décio Esteves, mostrando que reconheciam os banguenses como verdadeiros campeões.

 
 
Técnico Tim com a taça de campeão

Tim correu para o centro do campo e encontrou Ubirajara:

“Viu? Você não tomou frango, nós ganhamos o jogo!”.



Os gols

Bangu 1 a 0 – 3 minutos do 1º tempo – A jogada armada por Tim funciona. Valter passa por trás da zaga, recebe o passe de Décio Esteves e fica frente a frente ao goleiro Jimmy Brown. Com um leve toque, abre a contagem para o Bangu.

Bangu 2 a 0 – 42 minutos do 2º tempo – Desta vez, Valter recebe a bola próximo à entrada da área. Ele chuta forte, a bola desvia em Bill Toner e sobe, fugindo do alcance do goleiro Jimmy Brown. Era o gol do título.

     
Livros
 
Estatísticas 2017
 
Jogos 14
Vitórias 4
Empates 3
Derrotas 7
Gols Pró 13
Gols Contra 23
Saldo de Gols -10
Aproveitamento 36%
Artilheiros 2017
 
Loco Abreu 3
Raphael Augusto 3
Leandro Chaves 1
João Guilherme 1
Guilherme 1
Carlinhos 1
Anderson Penna 1
Hygor Guimarães 1
Daniel Bueno 1