Rio de Janeiro, sábado, 18 de novembro de 2017 - 13h37min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Notícias » Jogos

18/09/1966 - BANGU 5 x 0 SÃO CRISTÓVÃO

FICHA TÉCNICA
Competição:
Campeonato Carioca
Local:
Maracanã
Árbitro:
José Mário Vinhas
Ubirajara, Fidélis, Mário Tito, Luís Alberto e Ari Clemente; Jaime e Jair; Paulo Borges, Ênio, Cabralzinho e Zé Carlos.
Técnico: Alfredo González.
Manga, Lauro, Aílton, Élton e Tião; Valdecir e Jedir; Correia, Domingos, Jorge e Fraga.
No 1º tempo: Paulo Borges (25) e Cabralzinho (42). No 2º tempo: Zé Carlos (11), Jair (27) e Ênio (pên.) (38).

. . . . . . . . . . . . . . .

“Fábrica” mantém a produção: Bangu 5 x 0
Fo
nte: Última Hora

O Bangu venceu tranquilamente ao São Cristóvão por 5 x 0 no primeiro jogo da rodada dupla do Maracanã, após assinalar 2 x 0 no primeiro tempo, quando encontrou algumas dificuldades e foi em alguns lances favorecido pela arbitragem.

As principais falhas do São Cristóvão residiram em sua defesa frágil, na lateral-esquerda, onde Tião foi seguidamente vencido pelo plano tático armado pelo Bangu e na inocência do goleiro Manga, que falhou no segundo e terceiro gols banguenses.

O São Cristóvão iniciou jogando no 4-3-3, pois Domingos apesar de jogar com a camisa número sete, nunca foi ponta-direita, equilibrou os primeiros momentos do jogo e chegou mesmo em alguns lances a fazer perigar o gol defendido por Ubirajara, sem nunca, entretanto, completar suas ações com tiros a gol.

O Bangu deslocava Ênio para o setor direito, enquanto Paulo Borges a princípio jogava pela meia, mas com alguns minutos o ponta ficou também por esse setor e por aí surgiram todas as oportunidades do time de Moça Bonita, que encontrava grande facilidade já que a defesa do São Cristóvão permitia a cabeçada dos atacantes banguenses nos centros alçados sobre sua área.

Aos 25 minutos, o Bangu marcou seu primeiro gol, quando Cabral e Ênio tabelaram, para o primeiro atirar e Manga praticar a defesa parcial, do que se aproveitou Paulo Borges para empurrar para o fundo da rede, mesmo sofrendo assédio de Tião.

Os avanços de Fidélis complicavam ainda mais o setor esquerdo do São Cristóvão e o Bangu passou a predominar, mas em contra-ataque do São Cristóvão, aos 32 minutos, o juiz deixou de assinalar uma penalidade máxima sofrida pelo atacante Correia, em entrada de Ari Clemente.

Em falta inexistente em Paulo Borges, marcada pelo juiz, aos 42 minutos, Cabral, encarregado da cobrança, colocou a bola no ângulo direito de Manga, que ficou assistindo. No segundo tempo, a partir do terceiro marcado por Zé Carlos aos 11 minutos, quando a defesa do São Cristóvão falhou e o goleiro Manga não saiu do gol, o Bangu mandou no jogo e chegou ao marcador dilatado tranquilamente.

O quarto gol foi de autoria de Jair, aos 27 minutos, falhando toda a defesa que assistiu ao centro de Fidélis. O quinto foi de autoria de Ênio, aos 38 minutos, quando o zagueiro Élton defendeu dentro da grande área com as mãos uma tabela de Jair e Cabral.

     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83