Rio de Janeiro, sábado, 18 de novembro de 2017 - 13h37min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Notícias » Jogos
Maracanã 28 de setembro de 1966

Os artilheiros: Cabralzinho fez dois gols; Paulo Borges outros dois – a dupla liderava a artilharia do Campeonato, cada qual com 6 gols após cinco rodadas.

Apesar de possuírem campos próprios, nem Bangu nem Olaria puderam utilizar seus estádios para abrigar a partida da 5ª rodada do Campeonato Carioca. A Federação Carioca de Futebol decidiu que o jogo entre os dois times suburbanos seria quarta-feira à noite, no Maracanã. Ou seja: certeza de prejuízo.

“Esta partida está fadada, infelizmente, ao fracasso financeiro, já que a torcida dos dois clubes dificilmente cobrirá, pelo menos, as despesas com a manutenção do maior estádio do mundo” - vaticinava a Tribuna da Imprensa.

Para piorar ainda mais, o tempo chuvoso e a baixa temperatura, afastou até quem tencionava sair de casa para ver o jogo vistoso do Bangu, o líder do Campeonato. Desta forma, apenas 1.031 pessoas passaram pelas bilheterias do Maracanã.

Quem enfrentou as más condições climáticas assistiu a um jogaço. Aos 5 minutos, o Olaria – autêntica zebra – assustou a meta de Ubirajara, com um chute de Didinho que se chocou com o travessão. O Bangu marcou com Cabralzinho, aos 21, mas o árbitro Eunápio de Queirós viu impedimento no lance.

O placar só foi se movimentar aos 34 minutos, com o ídolo Cabralzinho. Depois de sofrer falta de Zé Maria nas proximidades da área, o atacante ajeitou a bola com capricho e bateu com firmeza para fazer a alegria dos banguenses: 1 a 0.

Aos 42, foi a vez de Ênio levantar a bola na área e Paulo Borges, de cabeça, balançar as redes do goleiro Jurandir, que falhou no lance: 2 a 0. A vitória, que já parecia consolidada, ficou ainda mais clara quando o árbitro expulsou o zagueiro olariense Zé Maria, por falta em Jaime, aos 44 minutos.

No intervalo, o técnico Alfredo González pediu a seus comandados que continuassem pressionando para melhorar o saldo de gols e mostrar aos outros grandes do Rio que o Bangu era o favorito ao título de 1966.

Aos 5 minutos do 2º tempo, Jaime cruzou na área, Cabralzinho matou no peito e chutou forte. Indefensável! Era o terceiro gol alvirrubro. Com o Olaria completamente perdido, aos 7 minutos saiu o quarto gol. Cabralzinho tocou para Ênio na marca do pênalti encobrir o goleiro reserva Jaeder.

Uma verdadeira “fábrica de gols”, o Bangu foi às redes também aos 9 minutos. Jair esticou uma bola na área, Cabralzinho deixou passar e Paulo Borges apareceu para chutar e marcar: 5 a 0. Fácil, fácil!

Aos 15 minutos, quando Cabralzinho – o grande nome da partida - saiu de campo com uma entorse no tornozelo direito, os banguenses entenderam que era o fim do espetáculo e os bariris agradeceram aos céus: 5 a 0 já estava de bom tamanho...

Com o resultado, o Bangu era o líder do Campeonato Carioca com 100% de aproveitamento e incríveis 22 gols anotados em apenas cinco partidas.

Campeonato Carioca 1966
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83