Rio de Janeiro, sábado, 18 de novembro de 2017 - 13h36min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Notícias » Jogos

06/11/1966 - BANGU 4 x 0 BONSUCESSO

FICHA TÉCNICA
Competição:
Campeonato Carioca
Local:
Teixeira de Castro (RJ)
Público:
2.039
Árbitro:
Carlos Floriano Vidal
Ubirajara, Fidélis, Mário Tito, Luís Alberto e Ari Clemente; Jaime e Ocimar; Paulo Borges, Ladeira, Cabralzinho e Aladim.
Técnico: Alfredo González.
Jonas, Luís Carlos, Moisés, Paulo Lumumba e Albérico; Brandão e Ivo; Gilber, Enos, Santos e Djair.
No 1º tempo: Paulo Borges (30). No 2º tempo: Ladeira (3), Paulo Lumumba (contra) (7) e Aladim (37).

. . . . . . . . . . . . . . .

Bangu cresceu bem: 4 x 0
Fo
nte: Última Hora


O Bangu venceu o Bonsucesso por 4 x 0 num jogo em que o adversário só exigiu o vice-líder até aos 3 minutos do segundo tempo, quando ocorreu o lance que definiria o jogo, com o Bangu assinalando o segundo gol na recarga de uma bola atirada na trave por Gilber.

O primeiro tempo terminou apontando a vitória parcial do Bangu por 1 x 0, mais em conseqüência de uma falha de Brandão do que propriamente por seus méritos, já que o jogo estava bastante equilibrado até a esta altura. O juiz foi o sr. Carlos Floriano Vidal, que sem ter uma boa atuação, não influiu no marcador.


Primeiro tempo

O início do jogo mostrou um Bonsucesso disposto a lutar de igual para igual, jogando com um sistema ofensivo e procurando explorar a velocidade de Enos, com passes em profundidade, chegando mesmo a dominar até a altura dos 15 minutos.

O Bangu tinha falhas em seu meio de campo, onde Jaime não conseguia acertar e no seu setor defensivo, onde Mário Tito comprometia com uma atuação muito fraca, além de no ataque contar com Ladeira inibido pela estréia e Aladim muito pouco inspirado.

Esquematicamente, o Bangu também cometia um erro, pois mantinha sua linha de beques muito recuada, inclusive os laterais, dando campo ao adversário, de que se aproveitou o Bonsucesso para progredir e apertar, sem que, entretanto, conseguisse concluir com êxito.

O vento favoreceu o Bangu nesta etapa, que acabou por notar sua existência e passou a não mais permitir o avanço do quadro do Bonsucesso. Avançou sua defesa, principalmente os laterais, que passaram a apoiar o ataque e passou, por sua vez, a encurralar o adversário.

Desse crescimento surgiria o primeiro gol do Bangu, quando Jaime, deslocado pela esquerda, venceu Brandão e ganhou a linha de fundo, para dali alçar um centro que foi encontrar Cabralzinho. O atacante ergueu a bola com um leve toque e deu para Paulo Borges, que de costas para o gol, em sensacional puxeta, colocou no fundo da rede, com a colaboração de Jonas, que assistiu ao lance, aos 30 minutos.

Com o avanço de seus laterais, principalmente Fidélis, o Bangu reencontrou sua agressividade e perdeu inúmeras oportunidades, inclusive com Cabral, que atirou na trave, três minutos após o primeiro gol.


Segundo tempo

Acreditava-se que, no segundo tempo, com o Bonsucesso atacando a favor do vento, o jogo tomaria aspecto sensacional, mas tudo ficou decidido com apenas três minutos, pois dois lances com intervalo de um minuto definiram o jogo.

Aos 2 minutos, o Bonsucesso foi ao ataque e Santos colocou Gilber, com um passe lateral, cara a cara com Ubirajara. O ponta-direita atirou forte, mas a bola foi encontrar a trave. No rebote, o Bangu foi ao ataque e Ladeira, recebendo um passe de Cabralzinho, atirou da intermediária. A bola enganou Jonas, tocando numa saliência do campo e ganhou o fundo da rede, com o goleiro chegando a tocar na bola, aos 3 minutos.

Daí para frente as coisas ficaram mais fáceis para o Bangu, que mesmo contando com Aladim em má tarde, soube construir o marcador de 4 x 0, pois Ladeira passou a jogar muito bem.

Aos 7 minutos, resultado de uma infiltração de Luís Alberto pela esquerda, o Bangu assinalou o seu terceiro gol. O beque foi até a linha de fundo e centrou, cobrindo Jonas. Paulo Lumumba quis salvar e acabou atirando contra a própria rede. O Bangu recuou e aos 37 minutos, após um período monótono de jogo, Aladim, aproveitando ótimo centro de Paulo Borges, deu números definitivos ao jogo.

     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83