Rio de Janeiro, sábado, 18 de novembro de 2017 - 13h31min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Reportagens

DE VOLTA À ELITE E SEM DINHEIRO DO BICHO, BANGU TENTA SE RECONSTRUIR

Diretoria alvirrubra pensa em fazer o clube grande outra vez, mas tudo em seu tempo

RIO DE JANEIRO - Quatro anos ap�s a queda, o regresso. O per�odo na Segunda Divis�o foi longo e doloroso, mas enfim o Bangu est� de volta � elite do futebol carioca - se sagrou campe�o da Segundona no �ltimo s�bado, ao bater o Aperibeense por 2 a 0 e assegurar o primeiro lugar do Quadrangular. Clube tradicional e que carrega uma hist�ria de 104 anos, o Alvirrubro j� ocupou o hall dos grandes no pa�s, mas passou por per�odo de decad�ncia e chegou � beira da fal�ncia. Na verdade, a vida banguense se resume em antes e depois de Castor de Andrade, considerado o eterno "patrono" do clube de Mo�a Bonita.

Sob o comando do ex-bicheiro, morto em 1997, ap�s infarto fulminante, o Bangu viveu tempos de Gl�ria na d�cada de 1980 e se firmou na primeira divis�o nacional. O grande momento do clube foi em 1985, quando ficou com o vice-campeonato brasileiro ao ser derrotado pelo Coritiba na final, em disputa de p�naltis. O golpe pela perda do t�tulo foi arrebatador e a fase nunca mais foi t�o positiva.

Em 1988, o Bangu encerrou o Brasileiro em 21� (ao todo eram 24 clubes) e acabou rebaixado. Em 1990, j� estava disputando a S�rie C e o desmoronamento de uma rica hist�ria parecia inevit�vel. A esta altura, Castor j� n�o injetava dinheiro como antes. Em 1993, o "patrono" alvirrubro, assim como toda a c�pula do bicho, acabou preso. Desde ent�o, o Alvirrubro n�o viu mais um centavo do dinheiro da contraven��o que o fizera brilhar na d�cada anterior.

A queda em �mbito nacional se estendeu, aos poucos, � esfera estadual. Em 2004, a queda sacramentou a decad�ncia. Entretanto, uma diretoria "p�s no ch�o", comanda pelo atual presidente Jorge Varela, assumiu em 2007. Sem "mala-preta", nem "mala-branca", o Bangu renasceu.


Reprodu��o
Z�zimo come�ou a carreira no Bangu e disputou as Copas de 58 e 62 pela sele��o

"Na �poca do Castor, ele chegava com a mala cheia de dinheiro e, pronto, resolvia todos os problemas. Mas hoje n�o � assim. As dificuldades s�o muito grandes e os recursos escassos. Tenho de correr atr�s de patrocinadores, sen�o a coisa n�o funciona. Existe uma serie de dificuldades. Na segunda divis�o deste ano, tivemos de buscar novamente parcerias com clubes (Resende, Madureira, Cabofriense e Friburguense), por exemplo, para montar o time", afirma Varela.

A partir de 2009, por�m, o caminho ser� outro. A diretoria banguense j� corre atr�s de um patrocinador forte, que d� o suporte necess�rio ao clube. Mas a ousadia n�o ultrapassa barreiras. O primeiro objetivo � formar com as "pr�prias for�as" um time capaz de manter o Bangu na Primeira Divis�o para que, com o tempo e readaptado � elite, possa pensar em v�os mais altos no futuro.

"A partir de agora as cosias v�o tomar outro rumo. Estamos renegociando algumas coisas e conversando com alguns poss�veis patrocinadores, que devem nos dar a condi��o financeira de suportar um campeonato do porte do Estadual. Com certeza ser� um time para ficar na primeira divis�o. Depois, vamos pensando em coisas maiores. Tudo tem seu tempo", avaliou, complementando.

"Mas � l�gico que o time ser� montado de acordo com aporte financeiro que conseguirmos. Contudo, uma coisa � certa: n�o vamos mais atuar com jogadores de outros clubes. Todos os emprestados, ou ao menos a maioria deles, voltar�o para seus respectivos clubes", emendou o presidente, que tem mandato em vigor at� o fim de 2010.


Primeira mudan�a


A diretoria alvirrubra pretendia manter Roy como t�cnico do time para a pr�xima temporada. Mas o treinador voltar� mesmo para o Resende, assim como toda sua comiss�o. Desta forma, Ademir Fonseca - ex-volante de Botafogo, Ituano, Santa Cruz, Vit�ria-BA e Atl�tico-PR entre os anos 80 e in�cio dos anos 90-, ser� o respons�vel por reconstruir a hist�ria alvirrubra na Primeira Divis�o estadual.

O novo comandante ter� uma miss�o complicada. Afinal, o time ser� praticamente desmanchado. Apesar das promessas de patroc�nio, n�o ser� injetada nenhuma quantia milion�ria. Assim, Fonseca ter� de ter paci�ncia e precis�o cir�rgicas para encontrar bons e promissores valores. Sem Castor, ter� de usar faro canino.

NOME: Bangu Atl�tico Clube
FUNDA��O: 17 de abril de 1904
EST�DIO: Prolet�rio Guilherme da Silveira Filho (Mo�a Bonita)
T�TULOS: Estaduais de 1933 e 1966 e Ta�a Rio de 1987 (invicto)
�DOLOS: Domingos da Guia, Zizinho, Z�zimo, Ubirajara e Marinho


Repórter: Bruno Rousso
Fonte: Pelé.Net, publicada em 21/11/2008.
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83