Rio de Janeiro, terça-feira, 21 de novembro de 2017 - 21h10min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Reportagens

FANÁTICOS: LOUCOS PELO BANGU

Dois torcedores mantêm site recheado de histórias e números do clube

Arquivo pessoal
 
O JORNALISTA Carlos Molinari mora em Brasília, mas não abandona o amor pelo Bangu e o hobby pelas estatísticas do clube da Zona Oeste

Se o presente do Bangu não anima, o passado rico virou hobby para dois torcedores que mantêm há quase 10 anos um site dedicado às estatísticas e à História do clube. Sem motivos para comemorar em campo, o jornalista Carlos Molinari e o técnico de informática Paulo Roberto têm no 'Bangu.net' sua maneira de exaltar a paixão que vem desde criança, quando o Bangu era uma das forças do futebol carioca.

Criado em 2002, o site vai fundo na história do Bangu. É possível descobrir que Ladislau é o maior artilheiro, com 222 gols, ou que o clube disputou 568 jogos no Maracanã. O 'Bangu.net' é confundido por torcedores como o site oficial.

"Parecemos malucos. É um hobby', brinca Paulo Roberto, de 43 anos, responsável pela manutenção e atualização do site. ''A ideia era ter só estatística, mas as pessoas pediram e colocamos as notícias atuais”.

A pesquisa histórica e de estatística fica a cargo de Carlos, de 32 anos. O torcedor começou seu projeto de historiador do Bangu em 1999, quando se tornou diretor de patrimônio. Em dois anos no cargo, vasculhou o passado nos arquivos e nos jornais antigos, e começou a montar seu arquivo pessoal.

"Sempre tive curiosidade e o Bangu não tinha essas estatísticas. Em 99, me candidatei a escrever o livro sobre o Bangu. Comecei a pesquisar e a conhecer as histórias que me surpreendem. As atas das primeiras reuniões são muito curiosas, escritas em português, mas por ingleses. O que me encanta muito são as fotos”, afirmou Carlos, que publicou dois livros por conta própria ('Almanaque do Bangu' e "Nós é que somos banguenses').

Numa dessas pesquisas em 2001, Carlos conheceu o site dedicado a números do Bangu na década de 80, feito por Paulo Roberto com arquivos pessoais como treino para um curso de criação de site. Depois de perderem a disputa para fazer o site oficial, os dois resolveram criar o 'Bangu.net'.

"Não é conhecimento que quero guardar para mim. O legal é disponibilizar para os outros. Tenho mais de mil fotos, é só me pedir”, disse Carlos.

As atualizações são constantes, assim como as pesquisas para descobrir novos jogos e histórias. E tudo feito de longe. Carlos mora em Brasília há quase 10 anos e não deixou a distância acabar com o hobby.

"O divertido é isso, a pesquisa não acaba nunca. Dá para saber tudo sobre Zizinho e Mauro Galvão, mas há outros jogadores que são muito mais difíceis de conseguir informações. É um quebra-cabeça”.


EM 107 ANOS

Pesquisa no passado revela histórias 'difíceis de acreditar'

Em suas pesquisas pelo passado do Bangu, Carlos Molinari teve a oportunidade de conhecer melhor o clube de coração e também descobrir histórias interessantes. Além das tradicionais com Castor de Andrade, o jornalista ficou impressionado com um acontecimento no início do futebol, no primeiro jogo contra o Flamengo.

"Tem cada história doida que não dá para acreditar. Em 1912, o goleiro Heráclito entrou em campo bêbado e levou um monte de frango, segundo os jornais. O jogo terminou 7 a 4 para o Flamengo”, conta Carlos, que também acha interessante a história da herança que sumiu em 1984: "Um professor do IME que não tinha família e era banguense deixou sua fortuna para o Bangu. Dava para comprar a Seleção, mas os cofres do clube nunca viram. A Casa São Luiz recebeu a outra metade da herança, fez obra e melhorou tudo”.

Entre as críticas às últimas administrações do Bangu, Carlos prefere usar suas estatísticas para escolher o ídolo. "Sou fã dos amadores, que não recebiam para jogar. De todos, meu ídolo é o Ladislau. Ele foi artilheiro do Carioca em 1930 e 1935 e é o maior goleador do Bangu com uma média incrível. Nunca o vi jogar, sou fã pelos números”, explicou.


143MIL PRESENTES
O maior público em um jogo do Bangu foi em 66: Bangu 3x0 Fla

533 JOGOS
O goleiro Ubirajara foi quem mais atuou pelo clube: de 56 a 69

18 GOLS
O Bangu fez 18 a 0 sobre um combinado de Manchester, em 91.

Veja a página do jornal com a matéria


Repórter: Hugo Perruso
Fonte: Jornal Marca Brasil, publicada em 12/02/2012.

     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83