Bangu Atlético Clube: sua história e suas glórias
Escudo Bangu 3 x 1 Escudo Olaria
BANGU   Olaria
Competição Campeonato Carioca (Returno - 2ª Rodada)
Local Estádio Proletário
Data e hora 13/11/1966
Renda Cr$ 1.884.500
Público 912 pagantes
Árbitro Eunápio de Queirós
Auxiliares Idovan Silva e Nivaldo dos Santos
Escudo Bangu Ubirajara, Fidélis, Mário Tito, Luís Alberto e Ari Clemente; Jaime e Ocimar; Paulo Borges, Cabralzinho, Ladeira e Aladim.
Técnico: Alfredo González.
Escudo Olaria Alcir, Hélcio Jacaré, Flodoaldo, Osmani, Nilton Santos; Odmar e Helinho; Joãozinho, Uriel, Antonio e Naldo.
Técnico: Daniel Pinto.
Gols No 1º tempo: Ladeira (7) e Cabralzinho (34). No 2º tempo: Uriel (2)Ladeira (20).
. . . . . . . . . . . . . . .
Sem jogar bem o Bangu venceu o Olaria
Fonte: O Globo
Foto: Jornal O Globo
Aos vinte minutos da segunda fase, Cabralzinho assinalou o terceiro tento bangüense
Aos vinte minutos da segunda fase, Cabralzinho entrou sozinho, chutou para o "goal", Alcir rebateu, mas o rebote ficou com Aladim, que centrou para Ladeira. O centro-avante do Bangu, com o goleiro fora da meta, entrou com disposição e assinalou o terceiro tento bangüense

Embora sem jogar uma boa partida, o Bangu conservou a vice-liderança do campeonato ao derrotar ontem à tarde, o Olaria, por 3x1, em peleja disputada no Estádio proletário. O primeiro tempo terminou com 2x0 para os bangüenses, tentos de Ladeira e Cabralzinho, marcando Uriel para o Olaria no segundo tempo, para novamente Ladeira, ampliar para o Bangu. O encontro foi foi bem dirigido por Eunápio de Queirós, com arrecadação de apenas Cr$ 1.884.500, registrando a vitória do Bangu na preliminar por 3x0.

Atuação Razoável

Mesmo com o encontro lhe pertencendo em quase todos os momentos, o Bangu não reeditou suas melhores atuações e somente não amargou um resultado imprevisto em função da baixa qualidade técnica do Olaria.

O "match", prejudicado pelo mau estado do gramado, muito encharcado e não permitindo a execução de jogadas mais trabalhadas, não chegou a agradar e apenas um ou outro lance individual levou sensação à social bangüense, que estava lotada, em contraste com as populares, onde apenas 912 pessoas pagaram ingresso.

O Quadro Bangüense, atuando dentro do seu padrão técnico habitual, com Jaime e Ocimar no meio de campo empurrando o ataque, não dominou amplamente o frágil quadro do Olaria, que ontem ainda estava menos eficiente, pois seus elementos chaves - Helinho, Joãozinho e Naldo - não estiveram em tarde de muita inspiração. Em compensação, a forte linha de zagueiros do Olaria, formada por Élcio Jacaré, Flodoaldo, Osmani e Nilton Santos, amendontrou um pouco o ataque adversário, que preferiu jogar afastado, tentando o "goal" em escapadas individuais.

Mesmo assim, apesar de não atuar bem, o Bangu mereceu a vitória, embora no início do segundo tempo, logo após o "goal" do Olaria, as coisas tenham-se complicado um pouco, com os bariris ameaçando seriamente o empate.

Os "Goals"

Aos sete minutos do primeiro tempo, Jaime, que cumpria boa atuação, lançou Ladeira, que chutou de bico violentamente e tirando qualquer possibilidade de defesa do goleiro Alcir.

O segundo tento, marcado por Cabralzinho com grande oportunismo, surgiu aos 34 minutos, quando o atacante recebeu de Aladim, matou a bola no alto e chutou para as rêdes, também não dando chance ao goleiro adversário.

No segundo tempo, aos 12 minuots, Uriel completou um cruzamento de Antoninho pela esquerda e, saltando com Mário Tito, colocou de cabeça a bola nas rêdes, quando Ubirajara poderia ter cortado o centro inicial.

Finalmente, aos 20 minuots, Cabralzinho, frente à frente com Alcir, chutou rasteiro, o goleiro rebateu, voltando a bola para Aladim, que com muita calma entregou a Ladeira que, sozinho frente ao arco e com o goleiro caído, não teve trabalho para assinalar o terceiro tento do Bangu.

Preliminar (Aspirantes): Bangu 3 x 0 Olaria.