Bangu Atlético Clube: sua história e suas glórias

Escudo Fluminense 1 x 3 Escudo Bangu
Fluminense   BANGU
Competição Campeonato Carioca (Returno - 6ª Rodada)
Local Estádio Mário Filho (Maracanã)
Data e hora 11/12/1966
Renda Cr$ 22.396.300
Público 22.628 pagantes
Árbitro Eunápio de Queirós
Auxiliares José Aldo Pereira e Nivaldo dos Santos
Escudo Fluminense Jorge Vitório; Oliveira, Caxias, Altair e Jorge; Denilson e Roberto Pinto; Amoroso, Mário, Lula e Gílson Nunes.
Técnico: Tim.
Escudo Bangu Ubirajara; Fidélis, Mário Tito, Luís Alberto e Ari Clemente; Jaime e Ocimar; Paulo Borges, Ladeira, Cabralzinho e Aladim.
Técnico: Alfredo González.
Cartão Vermelho Mário (Fluminense)
Gols No 1º tempo: Paulo Borges (40). No 2º tempo: Aladim (15) , Jaime (31) e Gilson Nunes (44).
. . . . . . . . . . . . . . .
Com 3x1, ontem, sôbre o Fluminense, manteve o Bangu um ponto de vantagem na liderança
Fonte: Jornal O Globo (Carlos Arêas)
Foto: Jornal O Globo
Aos vinte minutos da segunda fase, Cabralzinho assinalou o terceiro tento bangüense
Na foto, aparece Jaime ao marcar o terceiro "goal" bangüense atirando da esquerda em plena corrida para o canto da meta de Vitório, sem que Caxias pudesse impedir o arremate final do médio de apoio alvi-rubro

Enquanto o Flamengo na noite de sexta-feira sofreu para vencer o América, pela contagem mínima, encontrando o quadro rubro todo concentrado na defensiva, para tentar pelo menos um empate, o Bangu passou ontem com tranqüilidade pelo Fluminense, que jogou inteiramente à vontade, sem cerrar a defesa e sem se preocupar com o ataque, não dando assim assim maior trabalho à equipe bangüense que venceu, ao final, por 3x1, mantendo a vantagem de um ponto na liderança do campeonato, precisando pois, apenas de um empate para sagrar-se campeão, na batalha decisiva de domingo próximo com os rubro-negros.

Deve ser salientado, aliás, que o retrospecto do returno apresenta números mais convincentes para o quadro de Moça Bonita, que nos sete jogos disputados marcou um total de 19 "goals" contra 4, derrotando o Bonsucesso por 4x0, o Olaria por 3x1, o Botafogo por 3x0, o América por 3x2, O Vasco por 3x0, e ontem o Fluminense por 3x1. Enquanto o Flamengo marcou apenas 8 tentos contra 2, vencendo o Olaria por 3x0, o Bonsucesso por 1x0, o Vasco por 2x0, empatando em seguir com o Fluminense por 1x1, o Botafogo também por 1x1, e vencendo por último o América, na sexta-feira por 1x0. Em favor do Flamengo, todavia, pode-se lembrar que no encontro do primeiro turno, quando os dois quadros estavam invictos, o rubro-negro derrotou o alvi-rubro por 2x1 e mantém-se invicto até agora no campeonato, embora vice-líder, enquanto o líder conta com aquela derrota única pesando em seu balanço.

Primeiro tempo fraco

Talvez em conseqüência do calor, ou da preocupação nervosa dos quadros, o fato é que o primeiro tempo do jogo de ontem no Maracanã foi tecnicamente fraco, despido de maiores emoções ou de jogadas brilhantes. E desde logo se envidenciou que o ataque do Fluminense não estava num dia de acerto, parecendo até que todos haviam tomado também café no setor 4.

Por seu lado os bangüenses não se mostravam muitos dispostos à luta, parecendo acomodados ou esperando com paciência que surgissem as oportunidades para assumirem o comando da luta. Aos 40 minutos surgiu uma dessas oportunidades, com Jorge Vitório largando a bola e Paulo Broges entrando para marcar. E o primeiro tempo terminou com o líder vencendo por 1x0.

Melhor o Bangu no 2º tempo

Na segunda fase a situação do jôgo mudou nitidamente. O Bangu voltou bem melhor, mais disposto, ou mais certo de que o adversário não estava à altura de lhe criar dificuldades e assim tomou conta nitidamente da luta. Cresceu realmente de produção a equipe do líder, chegando aos 2x0 aos 15 minutos e aos 3x0 aos 31 minutos, para no minuto final permitir aos tricolores a marcação do chamado "tento de honra". Pelo que apresentou no primeiro tempo o Bangu não fêz absolutamente jus ao triunfo que acabou conquistando com facilidade, mas pela sua melhor produção na segunda etapa a equipe de Moça Bonita mostrou-se realmente à altura da posição que desfruta e justificou de maneira cabal a vitória conquistada por 3x1 e a liderança mantida.

Os tentos

Como citamos acima o Bangu abriu o escore aos 40 minutos de jôgo, após uma investida notável de Fidélis, que tabelou com Ocimar e airou forte em "goal", Jorge Vitório defendeu deitado, mas largou a bola, do que se aproveitou Paulo Borges, que estava no meio da área, para correr e mandar a bolas às rêdes, de bico. E esse foi o tento único da primeira etapa.

Na segunda fase aos 15 minutos o Bangu atacou, Paulo Borges andou para um lado e outro na área, até que conseguiu passar para Aladim, que estava livre e atirou de bico, de pé direito, para o canto à direita da meta de Jorge Vitório, marcando segundo tento do Bangu e fixando 2x0 no placar.

Aos 31 minutos, já com os refletores acessos desde um minuto antes, o Bangu chegou aos 3x0 com um belo "goal" de Jaime. O médio apoiador , correndo pela esquerda, recebeu um passe em profundidade de Cabralzinho e na corrida atirou de pé esquerdo para o canto à direita de Jorge Vitório, assinalando o terceiro tento dos alvi-rubros.

No último minuto o Fluminense foi à frente e Gílson Nunes centrou para Amoroso, dentro da área. O artilheiro tricolor falhou no arremate, mas na segunda tentativa acabou atirando nas pernas de Luís Alberto e a bola rolou para Gílson Nunes, que não pôde deixar de mandar a bola às rêdes e marcar o "goal" único do Fluminense, deixando o placar definitivo do encontro em 3x1.

Preliminar (Aspirantes): Fluminense 1 x 2 Bangu.