Bangu Atlético Clube: sua história e suas glórias
Escudo Bangu 3 x 1 Escudo Joinville-SC
BANGU   Joinville-SC
Competição Taça de Ouro - Grupo D - Returno
Local Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho
Data e hora Domingo, 07/04/1985 - 17h
Renda Cr$ 7.780.000,00
Público 1.556pagantes
Árbitro Luís Carlos Antunes
Auxiliares Sebastião Soledade e Reinaldo Teixeira
Escudo Bangu Gilmar (Júlio Galvão); Márcio, Jair, Oliveira e Baby; Israel, Pingo (Lulinha) e Mário; Marinho, Fernando Macaé e Ado
Técnico: Moisés
Escudo Joinville-SC Válter; Silmar, Adilson, Léo e Jacenir; Jorge Luís, Nardela e Moreno (Reginaldo); Moisés, Vágner e Carlinhos (Renato)
cartão amarelo Oliveira e Jair (Bangu); Renato e Jacenir (Joinville)
cartao vermelho -
Gols Bangu 1 x 0: Mário, aos 34min do 1º tempo
Bangu 2 x 0: Pingo, aos 18min do 2º tempo
Bangu 3 x 0: Fernando Macaé, aos 25min do 2º tempo
Bangu 3 x 1: Vágner, aos 38min do 2º tempo
. . . . . . . . . . . . . . .
Bangu vence Joinville por 3 a 1 e encosta no Ponte
Fonte: Jornal O Globo

Com um excelente desempenho, especialmente no segundo tempo, o Bangu derrotou ontem o Joinville por 3 a 1, em Moça Bonita, e melhorou sua posição na luta com a Ponte Preta - que perdeu da Desportiva - para passar ao Grupo A ou B na Taça de Ouro de 86. Agora o Bangu soma 26 pontos e a Ponte Preta 27. Os dois clubes jogarão domingo, em Campinas.

O Bangu foi melhor durante toda a partida e poderia ter alcançado placar mais elevado se seus atacantes tivessem tranqüilidade nas finalizações. Fernando Macaé perdeu três oportunidades da pequena área.

O time do Joinville tentou marcar por pressão no meio-campo para explorar os contra-ataques, mas, inteligentemente, o Bangu forçou as jogadas pelas pontas e chegava com relativa facilidade à área adversária. Apesar do domínio, o Bangu só conseguiu marcar um gol no primeiro tempo, através de Mário.

No segundo tempo, o Bangu manteve o ritmo. Bem organizado na defesa e no meio-campo, e com seu ataque mais objetivo, chegou aos 3 a 0, com gols de Pingo, aos 18 minutos, e Fernando Macaé, aos 25, e depois passou a tocar a bola. Aos 38 minutos, Vágner marcou o gol do Joinville.

Castor elogia a equipe e pensa na segunda fase

O clima no vestiário do bangu era de empolgação após a vitória de ontem sobre o Joinville, havendo unanimidade quanto à grande atuação da equipe. O Presidente do Conselho Deliberativo, Castor de Andrade, era um dos amis animados:

- O time jogou muito bem e acredito que teve aquela atuação que há muito tempo estava devendo à sua torcida. Não tenho dúvidas de que, se mantiver este nível, fará uma grande campanha na segunda fase, se classificando para semifinal.

Mas a grande alegria de dirigentes e jogadores do Bangu não era tanto pela vitória contra o Joinville, mas pela derrota da Ponte Preta para a Desportiva, pela manhã, em Vitória.

- Normalmente, o nosso time se acanha quando joga em Moça Bonita, mas desta vez desencabulou. A derrota da Ponte Preta foi ótima e nos dá uma nova motivação. Agora, esperamos vencer o Brasília quarta-feira, em nosso campo, para decidir o grupo, mais uma vez, contra a Ponte - afirmou o técnico Moisés.

O atacante Fernando macaé era um dos mais festejados no vestiário, depois de sua excelente atuação de ontem.

O Destaque: Mário, talento e perfeição

- Dei sorte e fui feliz. A bola pegou na veia. E quando pega na veia, não tem jeito.

Sempre cercado por torcedores, Mário, na saída do Estádio de Moça Bonita, explicou com humildade o gol que marcou, ontem, contra o Joinvile. No lance, ele dominou a bola, colocou-a à feição para o arremate com o pé esquerdo e, de fora da área, quase na intermediária, chutou forte para marcar o primeiro gol. Um gol que, na opinião do técnico Moisés, foi muito importante no aspecto psicológico:

- Com aquela vantagem inicial no placar, os jogadores tiveram a tranqüilidade necessária para tocar a bola e partir para cima do Joinville sem afobação. Com 1 a 0, os outros gols foram saindo naturalmente.

Mas, ontem, Mário não fez só o gol. Com seu talento de craque, soube prender a bola nos momento mais necessários e organizou as jogadas de meio de campo e ataque. Além do excelente domínio de bola, errou, durante o jogo, apenas um passe e fez lançamentos precisos. Por duas vezes, aliás, deixou o ponta-esquerda Ado em excelente posição para o arremate e ainda foi quem deu o passe para Fernando Macaé marcar o terceiro gol do Bangu.

Por tudo isso, Mário, cumprimentado por torcedores e sócios do Bangu, mostrava-se muito contente, e, quando deixava o estádio, disse que está atravessando excelente fase física:

- Estava devendo uma boa atuação, aqui, em Moça Bonita. Sei que fiz boas partidas fora de casa, mas, no nosso campo, acho que me sai bem e isso é importante porque a nossa torcida estava vendo o jogo.

Na opinião de Mário, agora o Bangu tem condições de brigar com a Ponte Preta e conseguir a classificação para os grupos A e B da Taça de Ouro do próximo ano:

- E não está muito difícil conseguir essa promoção. Estamos a um ponto, apenas, da Ponte Preta - concluiu.

Atuações: No Bangu, um bom entrosamento

Jogando com seriedade, atenta na marcação e cobertura, a defesa do bangu não cometeu falhas

GILMAR - Tranqüilo e eficiente na reposição da bola em jogo (nota 8)

JÚLIO GALVÃO - Entrou no final (sem nota)

MÁRCIO - Bom na marcação e apoio (nota 8)

JAIR - Firme na marcação e cobertura (nota 8)

OLIVEIRA - Marcou Vágner com vantagem (nota 8)

BABY - Bem na marcação e apoio (nota 8)

ISRAEL - Jogou recuado e foi pouco ao ataque (nota 7)

PINGO - Bom com a bola nos pés, fraco na marcação (nota7,5)

LULINHA - Substituiu Pingo no final (sem nota)

MÁRIO - Foi o destaque do jogo, combatendo e organizando as jogadas ofensivas (nota 10)

MARINHO - Fez boas jogadas pela ponta, mas se perdeu quando caiu pelo meio (nota 7,5)

FERNANDO MACAÉ - Esteve presente em todas as jogadas ofensivas do time, lutou e se deslocou com inteligência (nota 8)

ADO - Fez boas jogadas, mas precipitou-se nos centros e finalizações (nota 7,5)

Os Gols:

Bangu 1 a 0 - Mário recebe lançamento de Marinho na intermediária do Joinville, livre de marcação, avança até a entrada da área e chuta violento, no ângulo direito do goleiro Válter, que não tem como evitar o gol. Aos 36 minutos do primeiro tempo.

Bangu 2 a 0 - Pingo recebe lançamento de Fernando Macaé, entre os zagueiros, penetra até a área e, na saída do goleiro, toca no canto, sem defesa. Aos 18 minutos do segundo tempo.

Bangu 3 a 0 - Fernando Macaé recebe passe de Mário na intermediária, passa pelo zagueiro Adilson, avança até a pequena área e, na saída do goleiro, toca rasteiro no canto. Aos 25 minutos de segundo tempo.

Joinville 1 a 3 - Reginaldo avança pela direita e, da lateral da área, chuta forte, pelo alto. A bola bate na trave e Vágner, em cima da linha, toca para a rede. Aos 38 minutos do segundo tempo.

. . . . . . . . . . . . . . .
video Video do jogo
foto Foto do jogo
Foto: Jornal O Globo
Fernando Macaé, lançado por Mário, entra na área e toca rasteiro, na saída do goleiro Válter, para marcar o terceiro gol
Fernando Macaé, lançado por Mário, entra na área e toca rasteiro, na saída do goleiro Válter, para marcar o terceiro gol